Alvaro Lancellotti e seu Canto de marajó, na Casa Brasileira

 

A CASA BRASILEIRA receberá, dias 13 e 14 de março/2019,  dentro da série Encontros Musicais, o cantor e compositor Alvaro Lancellotti, um dos criadores da banda Fino Coletivo, com dois CDs  solo lançados e um terceiro sendo produzido para lançamento este ano.

 

Com as batidas percussivas de Adriano Sampaio  e a guitarra de Pedro Costa, Alvaro Lancellotti trará  para a sala da música da CASA BRASILEIRA repertório do seu último CD de canções autorais, “Canto de marajó”, mesmo nome do show,   com músicas de andamento suave que falam do mar com a  força do batuque.

Este ano, Alvinho começou a produzir  seu terceiro disco, que deve ser lançado no segundo semestre. 

Nascido no Rio de Janeiro, Alvaro Lancellotti cresceu em meio aos sambas e boleros do compositor Ivor Lancellotti, seu pai, e perto das experimentações do baterista Domenico Lancellotti, seu irmão.  Alvinho, como costuma ser chamado, é parceiro de compositores como Momo, Wado e Roque Ferreira e foi um dos pilares do Fino Coletivo, banda carioca com grande reconhecimento de crítica e público.  Lançou seu primeiro disco solo, “O Tempo faz a gente ter esses encantos”, em 2012. Em 2016, lançou seu segundo trabalho de estúdio, “Canto de marajó”, álbum eleito pelo jornal O Globo como um dos dez melhores do ano. 

 

Com Alvaro Lancellotti,  para as duas apresentações,  virão:  

Pedro Costa | violão e guitarra

Pedro assina a produção dos trabalhos solo do cantor. Também gravou com o Fino Coletivo e acumula apresentações com Jards Macalé, João Cavalcanti, Marília Bessy, Abayomy Afrobeat Orquestra, Rio Maracatu, Tibério Azul, entre outros. É ainda compositor de trilha para teatro e audiovisual, tendo recebido o prêmio de melhor trilha sonora para o filme “Transtorno”, em 2007.

 

Pedro assina a produção dos trabalhos solo do cantor. Também gravou com o Fino Coletivo e acumula apresentações com Jards Macalé, João Cavalcanti, Marília Bessy, Abayomy Afrobeat Orquestra, Rio Maracatu, Tibério Azul, entre outros. É ainda compositor de trilha para teatro e audiovisual, tendo recebido o prêmio de melhor trilha sonora para o filme “Transtorno”, em 2007.

Adriano Sampaio | percussões

Um dos fundadores do Rio Maracatu , Adriano Sampaio é percussionista reconhecido, tendo gravado com artistas como Anna Ratto, Jeff Chagas, Verônica Bonfim, Júlio Dain e os grupos Forroçacana, Pau de Braúna, Garrafieira, Trio Nordestino, Monobloco, entre outros. Também assina a produção dos discos solo de Alvaro Lancellotti e fez trilha para  o espetáculo teatral “Malala”. 

 

De malas prontas para a viagem a São Sebastião, Alvinho falou por telefone sobre seu trabalho artístico, a expectativa de visitar um centro histórico no litoral norte de São Paulo e cantar
na CASA BRASILEIRA.

 

 

MPUMALANGA/CASA BRASILEIRA Em que momento você assumiu o mar como fio condutor dos seus trabalhos artísticos? 

“Foram trinta anos contemplando o mar, a areia, a pedra, os pescadores”

 

ALVARO LANCELLOTTI Depois de alguns anos compondo, teve um determinado momento em que eu me perguntei : “Só faço música sobre o mar?”  Essa reflexão, num primeiro momento, me incomodou. Era como se ali eu estivesse me cobrando escrever sobre outras coisas… Mas foi justamente nesse momento que acabei descobrindo o “óbvio”. Eu nasci e fui criado na praia. Foram trinta anos contemplando o mar, a areia, a pedra, os pescadores … Hoje eu entendo que na verdade é a melodia que vem carregada de maresia e as letras são só uma consequência disso. É possível conversar sobre tudo usando o mar como metáfora. E é por aí mesmo que eu interpreto todas as coisas.

 

 

 

MPUMALANGA/CASA BRASILEIRA – Fale um pouco sobre a influência do se pai, Ivor, e do seu irmão, Domenico, na sua carreira. 

ALVARO LANCELLOTTI  Quando eu não estava na praia eu estava em casa vendo e ouvindo meu pai compor. Todos os processos criativos que envolviam seus parceiros ou nas canções que ele dava conta sozinho. Na minha infância, meu pai estava muito com os parceiros do samba, Délcio Carvalho, Paulo Cesar Pinheiro, João Nogueira.  Mas ele sempre foi um compositor de outros gêneros também. Isso tudo influência minhas linhas melódicas até hoje. Mais tarde também meu irmão Domenico começou a levar pra nossa casa outras coisas (outros discos) que não tocavam na vitrola do papai, e isso foi me dando novos repertórios. E, claro, a minha adolescência foi um mergulho intenso no baile funk do Chapéu Mangueira.

MPUMALANGA/CASA BRASILEIRA- O que você trará para estas duas apresentações na Casa Brasileira, dias 13 e 14 de março?


ALVARO LANCELLOTTI –
O show é principalmente em cima do Canto de marajó, mas ainda assim é um passeio pelos meus dois discos solos – este e também O Tempo faz a gente ter esses encantos, alem de algumas coisas novas que estão sendo gravadas para o próximo disco, que deve sair no final deste ano . Além disso, eventualmente tocamos alguma coisa da minha época de Fino Coletivo, banda que fui um dos fundadores, e que tem um traço ainda conectado com a música que faço hoje.

 

MPUMALANGA/CASA BRASILEIRA-  Como você recebeu o convite para cantar num casarão do século XVIII,  para um show intimista, no centro histórico de São Sebastião, de frente para o mar? 

ALVARO LANCELLOTTI – Recebi com muita alegria esse convite! Por todo o contexto cultural envolvido – fiquei fascinado em saber sobre o espaço cultural -, pelo cenário maravilhoso que dialoga  tão intensamente com minhas canções, e também pela honra de ter sido convidado pela Patrícia Palumbo, criadora e divulgadora de enorme importância pra nossa música no Brasil de hoje.

MPUMALANGA/CASA BRASILEIRA – Aguardamos vocês!

 

A CASA BRASILEIRA é o centro de cultura, arte e gastronomia do Instituto Mpumalanga, que atua com projetos de educação. Está instalada num casarão do século XVIII, no centro histórico de São Sebastião, e abriga exposições, mostras culturais e de artesanato, cursos e boa música harmonizada com a culinária do Brasileira Gourmet , que tem cardápio assinado  pela Chef Adriana Saldanha. 

 

Ingressos à venda na Casa Brasileira ou pelo  Eventbrite. Renda revertida para os projetos educacionais do Instituto Mpumalanga.  www.mpumalanga.com.br 

 

© Anna Clara Carvalho

 

Serviço:
Alvaro Lancellotti  | encontro musical Canto de marajó     
Local: CASA BRASILEIRA 
Av. Dr. Altino Arantes, 80 – Centro – São Sebastião-SP
Rua da Praia, 80
Informações | fone : (11)9 98388794 
Duas apresentações:  dias  13 e 14 de março/2019
Horário: 20h |Ingressos: R$ 30,00 | Capacidade:  34 pessoas

 

 

Realização: INSTITUTO MPUMALANGA  
Apoios

MULTCAR   
HOTEL POUSADA GAROUPAS 
RÁDIO VOZES