Mariene de Castro apresenta novo clipe durante Caravana

 

A última vez que a cantora e atriz de Velho Chico Mariene de Castro esteve com a Caravana das Artes antes de Salvador, ela acompanhou o projeto na maior expedição feita pela iniciativa, quando pela primeira vez o destino foi a Amazônia.

A cantora encarou as águas do Rio Purus para participar das atividades educativas no meio da floresta, com os povos indígenas apurinã e paumari. A ação rendeu não somente momentos inesquecíveis, como também o clipe da música Aquarela da Amazônia, apresentado com exclusividade na noite de Sarau Caravana, em Boca do Rio, na capital baiana.

“Foi uma das experiências mais lindas e mais fortes da minha vida”, afirmou emocionada. Ela agradeceu a parceria com Adriana Saldanha, diretora dos projetos Caravana do Esporte e Caravana das Artes, que dirigiu a gravação na Floresta Amazônica.

“Eu gostaria muito de sair com vocês pelo Brasil, pra tudo que é canto, fazendo esse trabalho lindo, que vocês levam para o povo brasileiro. É um trabalho que dá um orgulho. Toda vez que eu estou com vocês, eu não tenho vontade de sair de perto”, acrescentou a cantora.

Mariene se identifica com o engajamento social, sobretudo quando ele é dado através da arte. “Minha relação com a arte vem desde menina. Quando pequena sonhava em seu artista, ser uma bailarina”, contou. Feliz por receber o projeto em sua cidade e de retornar a Salvador depois de longos compromissos de trabalho, Mariene de Castro completa sua terceira ação junto ao projeto. Além de Lábrea, na Amazônia, ela também esteve em Amambai, no Mato Grosso do Sul.

O clipe exibido no Sarau Caravana ainda será divulgado oficialmente pela cantora.

 

 

 


Vozes do Purus

O Projeto Vozes do Purus abraça as manifestações e tradições culturais dos povos indígenas como parte da Caravana das Artes –  movimento que acredita no poder mobilizador da arte, na possibilidade de aprender e construir juntos, na valorização da cultura, na promoção dos ideais democráticos e da paz.
A Caravana das Artes é um projeto itinerante que percorre todos os anos 10 municípios com baixos índices de desenvolvimento humano (IDH) e infantil (IDI), promovendo atividades artísticas entre crianças e jovens, além de capacitação de professores da rede pública. Uma metodologia que transforma a realidade de crianças e jovens em espaço e conteúdo para o aprendizado e, principalmente, valoriza o papel do professor como ator social com grande influência na comunidade.