Smartphones e tabletes são novas ferramentas para a proteção da infância

A cada dia novas redes de soluções são criadas. Como um movimento para um mundo melhor, instituições privadas, públicas, não governamentais e a sociedade civil se unem para criar ferramentas e ações que caminham em direção a sustentabilidade do Planeta.

Entre os encontros que alimentam essa rede uma questão veio à tona: Como usar a tecnologia para resolver velhos problemas? O Unicef, em parceria com instituições brasileiras e internacionais, desenvolveu um aplicativo para smartphones e tabletes, com o objetivo de facilitar denúncias de violências contra crianças e adolescentes.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância,  a cada hora mais de 14 casos de violência são registrados no Brasil, no Disque 100. Apesar do número alarmante, a maioria dos casos não se transformam em denúncias, as razões podem ser medo ou falta de informação, afirma o UNICEF.

Captura de Tela 2016-06-03 às 17.11.25O Proteja Brasil é um aplicativo de georreferenciamento, que encontra suas coordenadas geográficas, e oferece informações das instituições especializadas na proteção de crianças e adolescentes mais próximas de você. Por meio da sua localização, o aplicativo indica um telefone para fazer a denúncia e os endereços de delegacias e conselhos tutelares. Qualquer registro de violência, seja física ou psicológica, pode ser mantida em sigilo.

“Vivemos no Brasil grandes eventos nos últimos anos. O Rio de Janeiro é uma cidade em atenção, que vai receber as Olímpiadas e uma circulação enorme de pessoas. As crianças cariocas já vivem e experimentam um alto grau de violência, por isso pedimos para a população baixar o aplicativo, que além de facilitar a denúncia, esclarece situações sobre a vulnerabilidade da criança e do adolescente”, comenta Fabiana Gorestein, oficial de proteção à infância do Unicef Brasil.

A ferramenta também funciona como fonte de informação, e aponta  quais são os direitos das crianças e jovens. Ao longo de dois anos, o app colaborou na construção de um mapa com os tipos de violação dos direitos. Negligência, crianças desaparecidas, consumo de álcool e de drogas, exploração de trabalho infantil e violência sexual são situações com mais registros durante a Copa do Mundo.

“O Proteja Brasil é uma ferramenta que compartilha informação e responsabilidade. Ele nos ajuda também a criar dados e evidências sobre o que acontece com as nossas crianças. Uma situação que não é reportada, não existe. Quando a gente faz uma denúncia, a gente registra que aquela situação é inaceitável. Para o Unicef, essa é uma ação que vale a pena ser replicada”, pontua Gorenstein.

Hoje, são mais de 60 milhões de pessoas com menos de 18 anos no Brasil e que precisam de seus direitos garantidos.

Participe dessa rede e compartilhe a ideia! www.protejabrasil.com.br